Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anos 90etal

Ideias, visões, pensamentos, vivências de alguém nascido nos 90's

Anos 90etal

Ideias, visões, pensamentos, vivências de alguém nascido nos 90's

20.12.19

O Pai Natal Não Existe e Outros Tais

Matias

Não sei quem és, nem irei saber!

Como os outros tais, és uma figura mítica. Não existes, mas hoje falo contigo. Guardas em ti todos os sonhos de criança e com eles, todas as suas desilusões. As bolachinhas que não comeste, o leitinho que não bebeste e as prendas que nunca trouxeste. Não te guardo rancor, afinal não tens culpa.. Criaram-te sem que quisesses! 

Quando era puto, virava-me para a estatueta da Nossa Senhora de Fátima que a minha mãe tem no seu quarto e ralhava com ela. Perguntava porque é que se ela realmente existe - incluindo todas aquelas personagens bíblicas - porque é que permitia que acontecessem coisas que não deviam, qual era o seu propósito! Hoje não sou crente, apenas tenho os meus anjos-da-guarda (sejam eles o que forem)... mas não são Deus, nem Jesus, nem Budda, nem qualquer outra figura religiosa. Que Deus? Se realmente existes, então a pior coisa que fizeste foi a criação do Homem... porque se a Terra fosse uma Empresa, já te tinham despedido pois "fabricaste" muita merda.

Não estou chateado, nem guardo rancor... estou só f*dido! Roubaram o carro a um casal amigo meu, pessoas 5 estrelas que não mereciam e vocês, onde estão? Soube a duas semanas do Natal que o meu pai tem cancro e vocês, onde estão? Isto a nível pessoal... mas globalmente... vocês que se existem permitem tudo... permitem que crianças morram aos 2 anos de vida com doenças terminais, que árvores caiam em cima de casas, que o Homem ame de armas na mão? F*da-se, não!

Miúdos, desculpem, mas o Pai Natal não existe e os outros tais.

09.12.19

Geração F*dida

Matias

Cada vez acho mais!

Nasci nos anos 90 e posso dizer que a evolução tecnológica nessa década e na seguinte foi avassaladora. Em menos de nada, passamos de ver os nossos pais com telemóveis do tamanho de tijolos para Smartphones que fazem tudo e mais alguma coisa. De certeza que há por aí pessoal que se vai admirar quando souber que os telefones já tiveram teclas e que a memória só suportava 15 números telefónicos... para não falar que partilhávamos músicas e fotos com uma bruxaria chamada "infravermelhos"! Passamos de ter televisões gigantes e pesadonas, para termos Smart TVs leves e finas. A Internet quando chegou a nossas casas, tinha de ser ligada ao PC com um cabo de rede conectado à linha telefónica.. depois de uma chinfrineira colossal, lá nos ligávamos à IOL ou à Net.Sapo... os 10 euros que tinhas carregado no dia anterior, voavam em menos de 10 pesquisas! Diz a lenda, que os computadores nessa época tinham uma ranhura onde se colocava um dispositivo chamado disquete que servia para guardar informação... acho que um dia consegui guardar umas 8 imagens numa coisa dessas!

Hoje em dia é tudo Smart... exceto as pessoas! Hoje em dia, o valor está nas coisas, no que tens e no que pareces e não no que realmente és.

Pessoal nascido nos anos 90, Millennials, geração à rasca, geração rasca... chamem-nos o que quiserem, porque na verdade somos é uma geração f*dida! 

Somos do período da História em que já se inventou tudo ou quase tudo. Somos do período da História em que o dinheiro está acima de todos os interesses. Somos do período da História em que já não há volta a dar! Nós e todos os que a partir daqui nascerem, iremos sofrer com anos e anos de vandalismo ao nosso Planeta. Estamos Historicamente f*didos para o futuro. Estamos mentalmente f*didos. 

Somos toda uma geração sem jeito. Tudo nos perturba, tudo nos faz impressão... queremos estar do lado certo, mas nós não estamos certos do que é esse lado! Talvez estejam todos enganadamente certos.

Que revoluções fazemos nós? Apelamos contra a violência queimando viaturas e atirando pedras às forças de segurança? Queixamos-nos de quê? Das coisas que acontecem por encolhermos os ombros e apenas discutimos no Facebook? O meio ambiente o quê? A Greta quem? As religiões e as guerras como?

Assobiamos para o lado, mas depois sabemos cuspir para o ar e admiramos-nos quando a mesma nos cai em cima.

Não há espírito... não há respeito, não há consideração pelo outro... não vejo Humanidade para o futuro. Já não devemos ser humanos... não sei o que somos!

Peço desculpa pela expressão e nela estou incluído, mas somos uma geração f*dida.

21.11.19

Irracional Afinal

Matias

20191120_113149.jpg

À esquerda está a Bianca que é uma gata e à direita está o Bob que é um cão... deitados lado a lado como quem relaxa na praia durante um quente dia de Verão! São dois animais teoricamente incompativeis, mas estão em paz. São bons amigos a pesar das diferenças. Só que isso não lhes importa. Não olham à raça, não olham à cor, não seguem estereótipos. Não têm religião, não têm clube, não têm partido político. São apenas felizes um com o outro e à sua maneira. Vivem em harmonia!

Então, se dois animais irracionais o fazem... porque é que nós seres Humanos - ditos racionais - não o conseguimos fazer?! Porque não somos capazes de parar de julgar terceiros e de os classificar conforme a sua cor, étnia, religião, etc...?! Porquê as guerras e toda a violência?! Tanta amargura e desrespeito...

Quem é o irracional afinal?!

08.11.19

Fez o Meu Dia

Matias

São pequenas coisas!

Há dias, estava a chover como se fosse a última vez que podesse chover e, fui levar um colega de trabalho ao infantário para ir buscar a sua filha. Esperei por eles na fila de carros que se forma sempre àquela hora e levei-os a casa.

Interagi um pouco com a menina... ela ria-se e ria-se! 

- "Oh pai chega para lá", dizia ela... mas ele já estava tão em cima da porta que só se fosse para a rua!

Nisto o pai perguntou:

-  "O que aprendeste hoje na escola?" 

- "Nada!", respondeu ela prontamente com aquela voz de pintainho.

Rimos-nos! 

Depois era o pai a dizer que ela ia tomar um banhinho ao chegar a casa e ela teimava que não. Ao deixa-los em casa, eu joguei ao contrario e disse:

- "Agora não te esqueças de ir dar banho ao pai e depois tomas tu!"

A menina riu-se! Sairam do carro e foi a acenar para mim ate entrar na porta.

No dia seguinte diz-me o meu colega:

- "A minha filhota adorou-te, disse que o senhor do carro era maluco!"

Ela ria-se só de arrancar com o carro... claro que fiz algum "teatro" pelo caminho e ela lá achou que eu era "palhacinho"..

Acho que fez o meu dia! 

05.11.19

Um Toque do Meu TOC

Matias

Já devia saber!

Não me lembro se já falei disto, mas tenho outro problema com o meu cérebro que é como um transtorno compulsivo... tenho de ter as coisas/objetos alinhados! 

Os tapetes têm de estar direitinhos, as gavetas e portas dos amários fechadas... etc, etc... acho que já perceberam.

Então o que aconteceu?!

Eu tinha uma panela ao lume onde iria fazer ovos escalfados... deixei a àgua ferver e tal... 

A dada altura, olhei para a panela e achei que não estava mesmo no centro da chama. Não tenho mais nada e meti-lhe logo um dedo para a ajeitar... escusado será dizer que me queimei de verdade e tenho uma grande bolha no dedo! Quem me mandou?

Foi mais um toque do meu TOC.

30.10.19

Uma Melhor Sociedade

Matias

Pois aqui vai!

Prometi à Mariana que escreveria um post sobre os meus pensamentos após ter visto o filme Gimini. Isto após conversa num post feito por ela sobre o filme Joker.

E sim! Hoje fui ver o Joker... Sim... Só fui hoje! Não fui a correr ver o filme, tipo as ovelhas que seguem o rebanho. Não gosto disso. Parece que as pessoas perdem identidade quando vão atrás umas das outras ou atrás de algo. Sai uma camisola da moda e parece que só existe aquela, todos andam vestido com uma igual!

Primeiro o Gimini. Enquanto estavam 150 pessoas na sala para ver o Joker, eu pude ir ver o Gimini sossegadinho da vida. Meia dúzia de gatos pingados! Este filme, para quem gosta de ação é um bom filme. Para não falar do ator Will Smith, que não falha e se porta sempre bem. É um filme que aborda um tema que poderá estar na calha num futuro muito próximo - manipulação genética e evolução humana. Contudo guardei uma quote que me ficou na cabeça... foi nas partes em que bebiam e brindavam dizendo:

- "Brindamos à Guerra... que é nenhuma Guerra".

Esta expressão fez-me pensar em como é bom vivermos sem guerras. Temos liberdade! Sai da sala de cinema em direção aos corredores do shopping olhando à minha volta e a pensar que num país em guerra nada daquilo existiria. Não poderíamos caminhar em paz! Alguma vez pararam para pôr algo do género em primeiro plano? A vossa liberdade?! Tudo aquilo que podemos fazer e dizer e que não dá-mos valor. Hoje em dia, estamos cada vez mais inconformados com tudo, porque já nada nos agrada... quanto mais temos, mais queremos... mais e melhor, quando aquilo que temos, já é tão bom! Liberdade... vida sem Guerra.

Quanto ao Joker e ao seu fenómeno...

Bem! Não percebo. O filme realmente é penetrante e a representação feita por Joaquin Phoenix é de alto nível. A história é a origem de um dos mais famosos vilões da Banda Desenhada. A questão é que as pessoas são levadas a por-se no lugar da personagem principal e a viver quase em uníssono toda aquela loucura existente. Somos até levados a ter pena dele! No final, o Joker é aclamado pelos seus "palhaços seguidores"... Sinceramente? Não vejo grande diferença entre ele e por exemplo Hitler. São tão ou mais loucos os que os seguem do que eles mesmos com as suas convicções! Seguiram alguém pela sua loucura, lutando por uma causa errada. Estranhamente, ambos tiveram seguidores. O Joker mata por se sentir excluído da sociedade... enlouquece... perde o rumo! Não são motivos que justifiquem... mas é algo que pode acontecer a qualquer um de nós e isso é que nos faz ter respeito pelo filme. 

Mas vá lá... tentemos ser mais educados, mais amigos do próximo, mais respeitadores sim? Já será um pequeno passo para uma melhor sociedade.

24.10.19

Assim Está Bem

Matias

Alguma esperança!

Ontem, tudo no mesmo sítio e num espaço de duas horas.

Eram seis árabes e mais tarde dez... era uma senhora sul americana e mais uns cinco portugueses. 

Entrou uma senhora com carrinho de bébe, que entretanto teve de sair e voltaria mais tarde... nisto a senhora sul americana foi abrir a porta à senhora para passar com o carrinho. Como não conseguia, foi lá um dos árabes ajudar e abriu. 

Já mais tarde, a senhora com o bébe voltara... foi de pronto atendida, passando à nossa frente. Ninguém reclamou o facto nem rangeu os dentes. Estava no seu direito! Durante a consulta da senhora, o bébe não parava de chorar. Vaio então o médico à sala de espera perguntar se alguém segurava na criança. Foi então a senhora sul americana a correr, pois já tinha sido mãe de duas! Juntou-se a uma das senhoras portuguesas, pois eram conhecidas do trabalho... cheirou mal... vinha do rabiosque da bébe... as duas correram para lhe mudar a fralda!

Pouco depois, chegou uma senhora acompanhada do seu filho (já muito adulto e com problemas mentais). Ele sentou-se ao meu lado... a mãe tratava-o com muito carinho e estava a falar com a senhora da recepção. Eu pensei, quando acabarem de falar ofereço-lhe o meu lugar para se sentar ao pé do filho... mas já fui tarde! Uma outra senhora, não esperou pelo fim da conversa e antecipou-se a mim.

Todos ajudaram, de certa forma, a que o dia de alguém, mesmo que sem se conhecerem, corresse melhor.  Não nos deixemos enganar/influenciar pelo aspeto dos outros. Muitas vezes as boas ações vem de quem menos esperamos. Assim está bem!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub