Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anos 90etal

Ideias, visões, pensamentos, vivências de alguém nascido nos 90's

Anos 90etal

Ideias, visões, pensamentos, vivências de alguém nascido nos 90's

03.10.19

Uns e Outros

Matias

Agora me apercebo!

Tenho andado por aí, tratando da minha vida. Tenho ido a vários locais dos quais muito se ouve falar mal... ora pelas filas de espera, ora pelo mau atendimento... ora isto, ora aquilo!

A verdade, falando da minha experiência e sem querer ser mais do que ninguém, posso dizer que tenho sido sempre bem tratado. Os colaboradores tem sido sempre amaveis, disponiveis e atenciosos. Mas nós como clientes, também devemos fazer a nossa parte. Mostrar um sorriso, paciência e no mínimo boa educação!

Perto das oito horas da noite fui atendido de forma excelente por uma senhora. Sorrimos, dissemos piadas e... resolvemos o meu assunto. Tudo sem stress e na maior descontração! Entretanto, surgiu um cliente com o qual a pessoa que me estava a atender acabou por ter um momento menos agradavel. Eu pensei: "Este homem só colheu o que semeou" (corrijam-me se estiver errado).

Diz-se que o "Cliente tem sempre razão"... mas não é bem assim... como clientes e como pessoas, devemos ajudar os outros de forma a que nos prestem um melhor serviço! Não é só reclamar e estar de trombras. Temos de ter em mente que em algum momento da vida, qualquer um de nós poderá estar por trás de um destes papeis. 

São uns e outros!

17.09.19

Liberdade

Matias

Eu vou (e não é ao Rock in Rio)!

Tem piada, porque Rock in Rio, poderia ter ligação ao tema do post, o que não é o caso. Nada contra o senhor, se é que me entendem!

Estão para chegar mais umas eleições e o grande vencedor dos últimos tempos, tem sido a abstenção. Certamente que haverá uma razão, mas não sou eu quem tem de tirar conclusões sobre o caso. Não sei se será um desinteresse geral pela política... quando vejo os políticos e os deputados no Parlamento, só me lembro das vezes em que estava na escola e começávamos a falar todos ao mesmo tempo e então o(a) professor(a) tinha de intervir para que falássemos um de cada vez pondo o braço no ar. Chego à conclusão que na escola deles, não se ensinava disso!

Todos os dias "crucificamos" as crianças pelas suas atitudes ditas incorretas, mas que depois, nós adultos acabamos por também as fazer, com a agravante de as consequências, em geral, produzirem um efeito mais nefasto. E depois sorrimos e tentamos-nos escapar com aquela frase já feita do "Olha para o que eu digo, mas não olhes para o que eu faço"!

Parece que já foi há muitos anos, mas a ditadura ainda é do tempo nos nossos avós... dos nossos pais! Houve pessoas que lutaram muito para que hoje em dia pudéssemos, entre outras coisas, votar. Num ou noutro partido (ou mesmo em branco), deveríamos sempre lá ir... porque além de um dever é também um direito conquistado com por algo que nunca mais poderemos deixar perder... a nossa liberdade!

13.09.19

Nosso Karma

Matias

Por via de ser sexta feira treze!

Sigam o meu raciocinio! O planeta Terra tem cerca de sete mil milhões de habitantes...

Há centanas de milhares de zonas habitacionais por todo o planeta...

Nessas zonas habitacionais, existem milhares com varandas...

Nós, pessoas, não ocupamos assim tanto espaço enquanto caminhamos pelas ruas...

Mas a porra da pinga de água gelada, que escorreu pela esquininha da varanda, teve de cair exataaaaamente no nosso pescoço... mesmo ali... poderia ter sido ao lado ou na camisola... mas não... teve o timming perfeito para se esquivar da gola, cair no nosso pescoço e percorrer as nossas belas costas!!!

Sentiram o arrepiozinho??? Brrrrr...

A culpa podia ser da sexta feira treze, mas não... não importa o dia... a culpa é do nosso Karma!

10.09.19

Óbvio!

Matias

Não vejo a necessidade!

Mas as marcas que lá aparecem por trás, já devem ver. O jogo acabou mesmo agora, todos viram, mas no fim ainda fazem a chamada flash interview onde se constata o óbvio... pergunta-se o óbvio, para obviamente se responder o óbvio! Óbvio!

Como se não bastasse, daqui por uns minutos, aparecem uns 17 programas (estou claramente a exagerar) com uns quantos senhores (porque mulheres quase nem vê-las) a comentar o que já foi visto e falado. O que é que nós fazemos? Ficamos a olhar para eles como se estivéssemos todos juntos num qualquer café. E que contentes nós ficamos!

Não percebo nada disto, mas parece-me que o essencial é tentar gerar polémica. Porque polémica desenvolve falatório e falatório cria notícia e uma notícia origina money money. Eu gosto de futebol e bastante, só que depois não gosto nada do que anda à volta dele. É um exagero, mas lá está, o dinheiro fala mais alto e o Mundo gira à volta dele. Óbvio!

09.09.19

De Bom Coração

Matias

Já lá vai!

Faz este ano, 11 anos que fui caloiro... caraças... 11 anos! Se 10 anos, já me parecia absurdo, 11 anos parece-me absurdo mais um! (Desculpem, foi só uma piadinha.)

Entrei na segunda fase do concurso, porque tive de voltar a fazer os exames de acesso (naquele ano e para o curso em questão era só Biologia), isto porque durante o secundário andei a "brincar" e como tinha média de 16 a Biologia e não tinha perspetiva de seguir para a Universidade, fiz o exame com o intuito de que a média da cadeira no final fosse positiva (e assim foi, só que para nota de ingresso  não bastava).

Lá consegui e fui meio à toa... uma cidade que não conhecia e pela qual me apaixonei! Na primeira noite, apanhei também a minha primeira borracheira (não sigam o exemplo) e devido a isso andava nas ruas como se estivesse no Space Mountain da Disney (coisa que nunca andei, mas imagino a sensação). Ao menos tive a capacidade de oferecer a minha senha para jantar na cantina a um outro caloiro (que ainda hoje faz parte do meu grupo de amigos), já que me fui deitar às 19h.

Olhando para o plano curricular do curso, a cadeira de Biologia e Bioquímica era aquela que me inspirava mais confiança no primeiro semestre... era aquela que eu pensei que fosse a única que eu iria conseguir fazer! Pois, mas não... estava completamente errado... foi logo a primeira a que chumbei! Na verdade, no primeiro semestre do primeiro ano não fiz qualquer uma das cadeiras (shame on me)... mas eu era um puto e deslumbrei-me com a primeira vez fora de casa e descuidei-me! Culpa minha!

Andei uns tempos a mais para finalizar o curso, mas nunca desisti! A certa altura penso que embirrei com certas cadeiras o que não me ajudou a concretiza-las como deveria ser. 

O ano de caloiro foi muito bom (e é este que deixa sempre saudade), o segundo ano foi mais ou menos e os seguintes foram mais duros... psicologicamente, foi desgastante a certos níveis! Mas aqui estou... 

Desculpem o desabafo... Só tenho pena que, em parte, o mercado de trabalho não reflita aquilo que é o percurso académico e todas as suas envolventes (falo por mim, que fiquei um pouco desiludido com o curso que tirei)! Várias vezes sinto que deveria ter seguido outro caminho, mas é neste que estou! Custa-me a perceber a filosofia das empresas e o jeito das pessoas se tratarem... não dão valor a ninguém, vê-se pouco respeito, trabalha-se no meio de ambientes pesados, etc... dizem que sou da "Geração Rascas", mas grande parte das vezes andamos a lidar com os patrões e chefes da suposta "Boa Geração" (gerações anteriores) que de bom coração, têm muito pouco.

05.09.19

Comida V.I.P.

Matias

Para mim não dá muito!

Esta tarde estive em casa a guardar um carregamento de lenha para preparar o Inverno. Enquanto guardava, veio-me um súbito apetite por "comida saudavel". Assim decidi. No final, fui até à cidade para comer o dito lanche saudavel.

A questão é... comer saudavel é uma moda ou é um pequeno luxo?!

A não ser que seja mesmo por muito gosto ou por uma desejavel necessidade, para mim (e avaliando o que paguei pelo lanche) é quase uma questão de luxo! 

Foram 6 maravilhosos euros por uma panqueca de aveia com banana, açai e canela em pó... acompanhada por uma laranjada! Ora... por um pouco menos, já se consegue almoçar uma diária. A "comida saudavel" é optima, não vou falar mal dela, mas é claramente mais um negócio do que realmente uma preocupação! Hoje lanchei lá, porque me apeteceu, mas se me apetecesse todos os dias... estava tramado.

O que é saudavel hoje, amanhã já provoca o cancro e não sei quantas doenças mais. Importa é sermos moderados e variados naquilo que comemos e não nos deixarmos influênciar pela comida V.I.P.

 

04.09.19

Limites do Humor

Matias

Se é que os há!

Hoje em dia, qualquer coisa que surja num meio de comunicação mais abrangente, tem logo grande potencial para gerar polémica. Nas ultimas semanas, fiz duas piadas (sim, porque às vezes saem-me assim umas coisas) e só depois pensei que, ditas numa plataforma ou local com mais visibilidade, poderiam gerar bastante burburinho.

 

A primeira piada...

Era meio de Agosto e vinha eu da praia, no carro com a minha irmã e seu marido, já a chegar perto de casa, por uma estrada com curvas, quando numa parte com sombra avisto um senhor negro a caminhar junto da berma e digo:

- "Olhem, vai ali uma mochila a caminhar sozinha!"

A minha irmã, meia retorquida, responde:

- "Coitado, não sejas racista!"

Ao que eu digo:

- "Não é racismo, é humor negro."

Passado um segundo, foi uma risota pegada! No fim, parei para pensar e senti-me mal.

 

A segunda piada:

Foi no fim de semana passado, eu estava num restaurante e tinha havido lá pelas terras um Trail com bastantes participantes. Um dos habitantes da terra, tinha acabado de contar que uma senhora (que participava no Trail) tinha caído num dos locais de passagem e alguém exclamou:

- "Essa partiu-se toda!"

De seguida, contaram sobre um senhor espanhol que estava também a fazer o Trail... com a particularidade que este só tinha uma perna e ia de muletas (já devem ter visto fotos pelo Facebook). Então, rapidamente comentei:

- "Esse é que já não se parte mais, já veio "partido" de casa!"

Riram-se! Novamente, respirei e pensei no que disse. Senti-me mal!

 

Eu não sou racista, nem xenófobo, nem sinto preconceitos em relação às pessoas... em relação ao que são e como são! Já falei um pouco disso em posts anteriores.

Foram apenas piadas, mas no final senti-me mal comigo mesmo, pois achei que de alguma forma estava a ser injusto perante a condição daquelas pessoas. Peço desculpa! É sempre difícil definir limites e um deles são os limites do humor!

 

27.08.19

Preço da Felicidade

Matias

Eu náo sei qual é!

Ontem fiquei na praia até à chegada do pôr-do-sol. Queria fazer daquelas fotos que ficam sempre maravilhosas e que nos faz querer ir a determinado local! Acontece que caiu um denso nevoeiro a poucos minutos da desejada hora e já não houve foto para ninguém.

Ao sair da praia vi um dos nadadores salvadores na sua motinha e dois miúdos a correr para ele. Pediram-lhe para dar uma volta e o nadador levou-os com ele! Eu, que já caminhava para fora da praia, parei o meu trajecto para admirar tamanha felicidade. Os putos estavam mesmo contentes... Quando uma senhora que estava sentada na areia exclamou:

- "Gostava de saber quem é que paga esse combustível!"

Eu pensei para mim... "Porra, qual é a necessidade... Os miúdos estão tão contentes... Por dois minutos que andaram na mota!"

Depois à noite e pelo caminho, antes de ir ver o espectáculo do Fernando Rocha, estava um senhor cantando na rua... Só ouvi 20 segundos de passagem, mas deixei-lhe alguns trocos na caixinha dele... Ele enquanto cantava, soltou um obrigado e um rasgado sorriso. Ali, ganhei o resto da noite!

Às vezes são gestos simples que trazem a felicidade de outros e faz-me pensar sobre o preço da felicidade.

 

 

Já agora, ajudem a comédia portuguesa e subscrevam o canal no link:

https://m.youtube.com/user/rooooooocha

21.08.19

Gente Como Nós

Matias

Podíamos ser todos assim!

Não sou um tipo que se acha melhor do que os outros, mas sinto que no mínimo tenho algum "quê" de civismo. Hoje vou falar sobre racismo (assunto que me ocorreu ontem, até por algo que aconteceu enquanto saía do Registo Civil).

 

Ciganos! Geralmente, são donos de má fama por parte da Sociedade. 

Ainda ontem, depois de ter saído da secretária da funcionária que me atendeu, um senhor de etnia cigana dirigiu-se a mim e perguntou:

- "O senhor é daqui?"

Ao qual eu respondi prontamente que "Sim!" e embora eu fosse apenas um utente, senti que o poderia ajudar. Foi então que me colocou a sua dúvida e num minuto o ajudei. 

Agradeceu-me. Sorri e fui-me embora.

 

Nunca tive problemas com ciganos (não quer dizer que não venha a ter, mas não é por serem ciganos). Já fui vizinho de alguns, já os tive como companheiros de equipa quando jogava futebol, já dei boleia a outros. Todos me trataram bem, todos foram bem educados. 

A cada passo, ligamos a TV ou abrimos o jornal e vemos notícias sobre assaltos, violações, violência doméstica, etc... Quantos deles eram ciganos?! Já me estragaram calçado, já me furtaram uma t-shirt, já me levaram o lanche, já sofri bullying (sim é verdade, mas também não vou falar sobre isso) e nenhum dos autores era cigano. Dá que pensar?

Posto isto...

O Racismo (e a discriminação em geral) é algo que não deveria existir, nem mesmo a própria palavra. Não é a etnia, a cor, o sexo, a roupa que usa, nem os likes que tem nas fotografias que define uma pessoa, mas sim os seus princípios.

São todos gente como nós!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub